"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

ACORDA, ADALGISA
(Domínio Público)

Acorda Adalgisa,
pois que a noite é bela,
vem ver o luar.
Vem ouvir os cantos,
tão cheios de encantos,
que vêm lá do mar.
São os pescadores,
que cantando amores,
se vão barra afóra,
remando a falua,
ao brilhar da lua,
na propícia hora.

Acorda Adalgisa,
pois que a noite é bela,
tem dó de mim.
que no dormir te esquece,
quem por ti padece
tormento sem fim.
A voz que te chama
é de quem te ama,
é de um trovador,
que geme e suspira,
nas cordas da lira,
pedindo-te amor.

Acorda, Adalgisa,
pois que a noite é bela,
sob um céu de anil.
Passa a brisa mansa,
qual gentil criança,
só pensando em ti.
Vem ouvir os cantos
que são os prantos
deste teu cantor,
que vive sozinho,
que vive pensando
em teu doce amor.

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória