"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

CANÇÃO DE SONS DE PEDRA
(José Borges F. Netto)

A madrugada chegando,
fronteira de minha noite
e a manhã que vai nascer.

A noite desceu,
seu rosto apagou
na janela,
Em silêncio a rua morreu.
Estrela pequenina
rompeu a escuridão,
iluminou seu rosto,
mostrou você a mim,
lembrou a existência
de um espaço-luz imenso
entre a manhã bonita
e o triste entardecer.
Depois a nuvem escura
a estrela escondeu,
seus olhos se fecharam
não viram a dor dos meus.

Canção de Sons de Pedra,
ternura de seus passos
em todos os caminhos.

 

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória