"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

DESENCONTRO
(Amaury Tristão-Mário Telles)

Em cada pôr-do-sol
eu vejo renascer
o quanto não sou
longe de você.
Mas eu sei bem
que a lágrima vã
que turvar o meu olhar
irá se transformar
na estrela da manhã
que longe vai nascer,
brilhar tão fugaz
no céu, pra você.
Depois, vai morrer
na aurora que traz
a vontade de encontrar
você em cada amanhecer.

Vem de novo o sol
e o dia faz saber
que eu nada sou
longe do seu olhar,
o meu olhar.

Sou como esse sol,
sem ter por quem brilhar,
sempre só no céu,
um céu crespuscular.
Outro dia vai
na tarde que já vem.
Tudo é solidão
e eu sei bem por quê: é por você.

Se o meu coração
pudesse lhe trazer
eu ia encontar
você em cada anoitecer.

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória