"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

DEUSA DA MINHA RUA
(Newton Teixeira-Jorge Faraj)

A deusa da minha rua
tem os olhos onde a lua
costuma se embriagar.
Nos seus olhos, eu suponho,
que o sol, num dourado sonho,
vai claridade buscar.
Minha rua é sem graça,
mas quando por ela passa
seu vulto que me seduz,
a ruazinha modesta
é uma paisagem de festa,
é uma cascata de luz.

Na rua, uma poça d`àgua
- espelho da minha mágoa -
transporta o céu para o chão,
tal qual no chão da minha vida,
a minh`alma comovida,
o meu pobre coração.
Espelhos da minha mágoa,
meus olhos são poças d`àgua
sonhando com seu olhar...
Ela é tão rica e eu tão pobre,
eu sou plebeu e ela é nobre;
não vale a pena sonhar.

 

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória