"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

FELICINA
(Domínio Público)

Felicina tu mataste toda crença
que outrora me inspiraste e acalentei
Lavraste contra mim cruel setença,
fugi pra não morrer, mas te olvidei.

Tu quiseras a teus pés ver-me rendido,
turbar da minha vida a doce calma,
de torturas de dores perseguido...
Não quiseste do amor me dar a palma,
não venceste; por ti, não fui vencido,
salvei meu coração... Salvei minh`alma.

Mas quase sucumbi à indiferença
deste olhar, ó mulher que tanto amei.
Roubaste de minh`alma toda crença,
sofri o golpe teu, mas não chorei.

 

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória