"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

MALANDRINHA
(Freire Júnior)

A lua vem surgindo, cor-de-prata,
no alto da mantanha verdejante.
A lira do cantor, em serenata,
reclama na janela a sua amante.

Ao som da melodia apaixonada,
das cordas do sonoro violão,
confessa o seresteiro à sua amada
o que dentro lhe dita o coração.

Oh, linda imagem de mulher que me seduz,
ai, se eu pudesse, tu estarias num altar...
És a rainha dos meus sonhos, és a luz,
és malandrinha, não precisas trabalhar...

Acorda, minha bela namorada,
a lua nos convida a passear.
Seus raios iluminam toda a estrada
por onde nós havemos de passar.

A rua está deserta, oh, vem querida,
ouvir bem junto a mim o som do pinho.
E, quando a madrugada é já surgida,
os pombos voltarão para os eus ninhos.

 

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória