"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

MINHA MORADA
(Juarez de Brito-Ney Vieira)

Minha morada,
de chão de terra,
Naquela serra
Lá no fim da estrada,
onde ninguém passava
onde ninguém morava
só eu e você.

No fim da tarde,
a passarada
em revoada
ao anoitecer,
cada qual no seu ninho,
esperando o novo amanhecer.

E a lua nova tão vaidosa,
iluminava a nossa solidão...
Acompanhada das estrelas
mais brilhosas
que enfeitavam a nossa canção.
E nós dois tal qual
dois passarinhos,
no nosso ninho
de amor e de prazer,
tão aquecidos de carinho,
à espera de um novo
sol que vai nascer...
(Minha morada...)

 

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória