"Em cada Casa uma Canção, em cada Canção uma Saudade"

SERENATA DO ADEUS
(Vinícius de Moraes)

Ai, a lua que no céu surgiu
não é a mesma que te viu
nascer dos braços meus...
Cai a noite sobre o nosso amor
e, agora, só restou do amor
uma palavra - adeus...

Ai, vontade de ficar mas tendo que ir embora...

Ai, que amar é se ir morrendo pela vida a fora
é refletir na lágrima
um momento breve
de uma estrela pura
cuja luz morreu...

Ah, mulher, - estrela a refulgir -
parte, mas, antes de partir,
rasga o meu coração!
Crava as garras no meu peito em dor
e esvai em sangue todo o amor,
toda a desilusão...

Ai, vontade de ficar, mas tendo que ir embora...

Ai, que amar é se ir morrendo pela vida a fora
é refletir na lágrima
o momento breve
de uma estrela pura
cuja luz morreu...
numa noite escura,
triste como eu.

 

 

Imprima e Cante com os Seresteiros de Conservatória